Ja é seguro ir a shows?

Após um período tão longo de reclusão, os jovens estão ansiosos por retornar a vida social, como frequentar bares, clubes noturnos, Shows, etc. A indústria do entretenimento também anseia pelo retorno às atividades. Os ministérios da saúde de diversos países também buscam as respostas. Então, como responder a estas indagações?
A Universidade de Halle na Alemanha publicou em 29 de outubro os resultados preliminares do estudo científico Resart -19. A primeira parte desde projeto foi o show do cantor TIM BENDZKO na Arena de Leipzig. Foram cerca de 4 mil jovens voluntários, que realizaram exames para COVID -19 na entrada do estádio e depois foram seguidos por diversos dias para avaliar se desenvolveriam a doença. OS voluntários receberam máscaras e pequenos equipamentos com sensores de contato, para avaliar o número de contatos físicos durante o evento. Também foram observados os padrões de ventilação do local.
Após cerca de 2 meses de análise dos dados, observaram que o maior risco de contato físico foi durante a entrada e saída no estádio, assim como nos deslocamentos durante o intervalo. A praça de alimentação também foi um local crítico, pois além do maior contato físico, é necessário a retirada da máscara para alimentação.
As conclusões inicias do estudo, apontam que uma ventilação adequada no local do show e na praça da alimentação, proibição de ingestão de alimentos dentro do local do show (teatro), associada ao uso de máscaras DURANTE todo o evento, assim como a regulação do fluxo de entrada e saída, associada as regras de higiene e agentes de segurança treinados em higiene, diminuíram significativa o risco de contaminação do momento da entrada a saída do show. Contudo não foram avaliados os riscos de contaminação durante o deslocamento para o local, nem em transportes públicos ou privados.
Fonte:https://restart19.de/wpcontent/uploads/2020/10/20201029_Ergebnisse_RESTART19.pdf

Dra. Selma Merenlender
CRM 5248425-2
Diretora Técnica Centro Multidisciplinar Fluminense.