Manifestações incomuns da COVID 19

     Com o desenrolar da epidemia, novos sintomas vêm sendo relatados com a infecção pelo novo coronavirus. Além dos problemas clássicos como Febre, que pode ou não ser elevada, tosse persistente, cansaço intenso e falta de ar, alterações do trato gastrointestinal, como dor abdominal e diarreia vem se apresentando com maior frequência, mesmo quando não associados a febre e tosse.

      Estudos realizados com Endoscopia e colonoscopia, observaram inflamação da mucosa de todo o tubo gastrointestinal, causando além da diarreia e dor abdominal, sintomas como refluxo, queimação no estômago e até evacuação sanguinolenta.

       Outro sintoma que vem sendo relatado em uma fase bem inicial da doença, é a perda do olfato e consequente perda do paladar. Em alguns pacientes, o sintoma veio antes da febre e tosse em até uma semana, tendo perdurado em média duas semanas, com recuperação plena do olfato e paladar, em cerca de 30 dias. A princípio os sintomas eram atribuídos a congestão nasal associada ou não ao corrimento nasal, mas trabalhos científicos recentes demonstraram que o vírus ataca diretamente as células nervosas responsáveis pelo olfato. 

      A presença de tromboses de veias e artérias de pequeno calibre também estão sendo descritas com maior frequência, estabelecendo-se em maior número de casos em mãos e pés, como vasculites, a semelhança do que já encontramos em outras viroses como Hepatite C e Chikungunya. Também foram descritas manifestações cardíacas como Infarto agudo do miocárdio, choque cardiogênico e pericardite.

     Desta forma, fiquem atentos para outros sintomas da COVID-19 e não deixem passar muito tempo. Procurem um serviço de emergência se apresentar algum dos sintomas acima!

Dra Selma Merenlender

CRM 52484252

Diretora técnica Centro Multidisciplinar Fluminense