MEDICINA 4P, você sabe o que é isto?

                 Há cerca de 10 anos, a Sociedade Europeia de Medicina Preventiva lançou a ideia de mudar o conceito da medicina de um foco de tratamento e cura, para um foco em prevenção em diagnostico precoce. Esta estratégia passou a ser conhecida como estratégica 4P – Preventiva, Preditiva, Participativa e Personalizada, e já utilizada também em outros países além da Europa.

                Na Prevenção, englobamos as estratégias de prevenção de doenças, como vacinação populacional, medidas de saneamento básico, atenção a dietas, práticas de atividade física, e todas as práticas globais que EVITEM a chegada da doença no indivíduo. 

               Na Predição, uma novidade incorporada à medicina, são utilizados os dados estatísticos obtidos de uma população e gerados algoritmos que predizem quando, como e onde uma doença poderá ocorrer, ou ocorre novamente. Por exemplo, baseado nos dados estatísticos de epidemias anteriores, predizemos que no verão de 2020 poderá ocorrer uma nova epidemia de Dengue do sorogrupo tipo 2, e menor chance de epidemia de Chikungunya. Em um contexto mundial, os aplicativos de saúde para celulares e wearables, como relógios inteligentes, e o uso de Inteligência artificial, ajudam a coletar dados sobre hipertensão, infarto e outras doenças, produzindo o BIG DATA, e ajudando as entidades governamentais a produzir políticas de saúde voltadas para estes dados.

           Na Participação, esta uma prática mais visível até mesmo no Brasil, com a presença de membros leigos nos conselhos de saúde, o indivíduo ganha voz de participar nas políticas e gestão em saúde. As associações de pacientes portadores de doenças especificas já tem vagas nos conselhos municipais de saúde, como nas cidades do Rio de Janeiro e São Paulo e já tem voz ativa. Com frequência o Ministério da Saúde e seus órgãos e agências relacionados, abrem para consulta pública diversos projetos em saúde, ou até mesmo inclusão de novos medicamentos e técnicas no SUS. Nestas consultas públicas qualquer cidadão portador de um CPF pode apresentar a sua opinião.

           Na Personalização, algumas medidas já em curso, não só o tratamento é individualizado para aquele paciente em especial, levando -se em conta os dados de saúde do paciente, assim como a Vontade do paciente em aceitar ou não o determinado tratamento. Já existem diversos exames laboratoriais capazes de informar como um determinado medicamento pode ou não funcionar em um paciente, como um tipo de dieta pode ou não afetar a vida do indivíduo etc.

             A Medicina 4P não é mais o futuro, ela já está entre nós. Basta assumir esta bandeira, e pensar um pouco fora da caixa: pensar em Prevenção e Personalização, além de Participar e ajudar a Predizer.

 

             Dra Selma Merenlender CRM 5248425-2.